A criança que nasce destra ou canhota

Postado em 12/09/2017

A criança que nasce destra ou canhota

O que determina uma criança canhota. Ser destro é hereditário?

Uma criança é canhota não porque ela decidiu assim. Os especialistas confirmam que uma pessoa é destra ou canhota, desde o momento que nasce.

Muitos pais se perguntam se existem técnicas que possam alterar o domínio da mão esquerda do seu filho para a direita, como se isso fosse uma decisão do menino ou da menina.

O que determina uma criança canhota

O domínio da mão, seja direita ou esquerda, quem determina é o cérebro. O lado direito controla a mão esquerda e o esquerdo a mão direita. Por essa razão, a uma criança canhota, não se pode obrigar a escrever com a mão direita. Não existe treinamento algum que a faça mudar.

Por mais esforços que tente, a criança continuará tendo que usar sua mão esquerda para a realização de ações, já que isto é parte da sua natureza e não de um hábito ou um costume que ela tenha adquirido. Se obrigarmos uma criança a utilizar a mão mais débil e menos hábil na realização das tarefas, os resultados podem ser frustrantes para ela. Ela se sentirá esgotada sem razão e a tornará mais tímida.

Mudar as preferências laterais das crianças implica em desvantagens como dificuldades para distinguir a direita da esquerda, transtornos na escrita, dislexia e inclusive gagueira. A principal preocupação que deve existir com a criança canhota, é a adaptação dela a um mundo feito na sua maioria para destros.

O que pode levar uma criança a ser canhota

Quando nasce, a criança não tem lateralidade definida. Se vai instalando pouco a pouco de uma forma progressiva, se estabilizando por volta dos 6 e 8 anos de idade, com o começo da prática da escrita. Não se pode pensar que toda criança canhota tem ou terá problemas de aprendizagem, no entanto, e não há muito tempo, era comum o professor ou a família obrigarem a criança canhota a escrever com a mão direita, castigando-a fisicamente, reprimindo ou amarrando a mão esquerda da criança com aparelhos de couro e ferro que prendiam a mão esquerda nas costas e, ao mesmo tempo, deixavam a criança com a postura ereta na cadeira.

Em parte, esta mentalidade ficava a dever-se a estruturas culturais que encaravam a mão direita como a do bem e a esquerda como a mão do mal. Ainda hoje, algumas culturas relegam o uso da mão esquerda para as tarefas menos limpas. Infelizmente, este quadro mudou para bem.

Ser canhoto é uma questão genética?

Alguns estudos afirmam que a genética é uma das causas de ser canhoto. Uma criança que tem um pai canhoto, tem aproximadamente 10 por cento de probabilidade de sê-lo também. No caso que seja a mãe canhota, esta probabilidade aumenta 20 por cento. E se tanto o pai como a mãe são canhotos, a criança tem a probabilidade de 50 por cento em nascer canhota.

No entanto, existem outros fatores que também explicam o porque do filho nascer canhoto. Existem pesquisas que relacionam um alto nível de testosterona (hormônio masculino) presente no útero da mãe antes do nascimento do bebê.

Outras pesquisas revelam que lesões em um hemisfério cerebral do bebê, durante a gravidez ou nos dois primeiros meses de vida, podem induzir que um deles se desenvolva mais. Se é o hemisfério esquerdo o lesionado, provavelmente se desenvolva uma criança canhota.

Outras Notícias

 

Dicas para o ano de Vestibular
Postado em 19/09/2017

Está no ano do vestibular? Pensa que está na verdadeira hora do espanto? Calma, calma, aqui vão algumas dicas para você administrar o seu 3º ano e conseguir sua vaga na faculdade.

Mil e uma atividades

Se você é uma ...
leia mais »

Como organizar um espaço de estudos.
Postado em 04/09/2017

Cada estudante funciona de uma maneira diferente. Alguns aprendem escrevendo, outros conseguem absorvem melhor oconteúdo apenas por ouvi-lo em sala de aula. Da mesma forma, cada aluno precisa desenvolver uma rotina e espaço de estudos. Para alguns, é necessário sil&eci...
leia mais »

Estudo diário
Postado em 28/08/2017

O estudo diário é o segredo para um bom desempenho na hora da prova, tanto nos exames cotidianos do colégio quanto no exame do vestibular. A maioria dos professores de ensino médio e cursinhos preparatórios compartilha essa opinião e deixa claro que o est...
leia mais »